A verdadeira virada do Brasil

Redação
novembro27/ 2018

Artigo escrito por Leonardo Navarro, sócio e diretor do Instituto Idebrasil

O ano de 2018 está em sua reta final. Foram meses e meses difíceis, que acompanharam a grave recessão que assola o Brasil por quatro anos com poucos investimentos – tanto internos quanto externos – e alta taxa de desemprego. Para agravar, teve a Copa do Mundo, período no qual o País praticamente parou por cerca de 30 dias, e a própria eleição, considerada a mais acirrada da história, sendo que, em pelo menos 45 dias não se falou em absolutamente mais nada.
No entanto, mesmo antes do seu término, 2018 já apresenta algumas melhoras. Sem falar que as perspectivas para o ano que vem também apontam para um quadro positivo, mostrando quanto o Brasil é um País forte, que apesar dos problemas e dificuldades, consegue se reerguer, sacudir a poeira e dar a volta por cima.
Basta observar que estudos apontam para esse caminho. De acordo com números divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Empregadores (CAGED), em setembro, foram criadas 137 mil vagas de empregos com carteira assinada. Trata-se do maior índice para o período desde 2013. Com isso, o saldo positivo de vagas nos nove primeiros meses do ano é de 719 mil. Embora o número de desempregados esteja em cerca de 12 milhões, observa-se que, felizmente, esse número vem caindo.
Ainda de acordo com o estudo do CAGED, entre os setores destacados responsáveis por esses números satisfatórios em setembro, está o de serviços, que empregou 60,9 mil pessoas, seguido pela indústria de transformação, com 36, 4 mil, e comércio, 26,6 mil. Vale lembrar que esses números tendem a melhorar devido às festas de fim do ano, 13° na conta, economia girando e contratações temporárias ou não para atender as demandas do período.
Outro ponto importante para se destacar é a força das Pequenas Empresas. Sendo a principal fonte de emprego neste ano, a expectativa é de que encerre 2018 com um saldo entre 550 mil e 600 mil empregos, o maior dos últimos três anos. Todos de carteira assinada!
Para 2019, com a eleição de Jair Bolsonaro, considerado o preferido pelo mercado no segundo turno das eleições presidenciais, a tendência é que os números da economia brasileira continuem melhorando. Conforme estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a economia vai apresentar recuperação no ano que vem. Tanto que a previsão é que o Brasil tenha um crescimento de 2,9% em 2019, número quase três vezes maior do que o esperado para 2018, que deve ficar na casa de 1,2%.

Outra perspectiva para o ano que vem é que os investimentos voltem a acorrer no Brasil gerando assim mais empregos e renda. É claro que muito disso vai depender de algumas medidas tomadas pelo próximo governo, principalmente, no que diz respeito à política fiscal e ao corte de gastos públicos, tendo como carro-chefe a tão polêmica, no entanto necessária, reforma da Previdência Social.
Mesmo assim, a hora agora é de preparar o terreno. Planeje as metas para o ano que vem e já vá testando as mudanças e transformações em sua empresa. Vale reforçar que por mais que pareça dicas de autoajuda, quem sobreviver vai sair mais forte e navegar em águas tranquilas em breve. O ambiente está conspirando e a verdadeira virada está só começando. Basta acreditar!

Apoiadores