Primeiro Hyperloop para passageiros e em escala real é anunciado; operações começam em 2019

Redação
abril16/ 2018

Já imaginou fazer a viagem Belo Horizonte/São Paulo em apenas 38 minutos? É essa a estimativa de tempo que as pessoas gastariam para realizar esse percurso, segundo o simulador da HyperloopTT, disponível no site da empresa. Com dois empreendedores mineiros participantes do projeto, a empresa lançou, em Contagem, no último dia 6 de abril, o Centro Global de Inovação em Logística.

Cento e quarenta países foram avaliados para a instalação do centro e o Brasil foi o escolhido para ser a porta de entrada na América Latina. Mas por que Contagem? Por se tratar de uma empresa internacional, é comum fazermos este tipo de questionamento. “Aqui em Minas Gerais temos um cenário de muita criatividade, de pessoas brilhantes. É uma oportunidade para as pessoas participarem de um programa que vai transformar o transporte no mundo”, exaltou o presidente da empresa, Bibop Gresta, que se esforçou para apresentar o projeto em português e se desculpou caso cometesse alguns erros.

A Hyperlopp está desenvolvendo o projeto que consiste em transportar passageiros ou cargas em cápsulas sustentadas no ar por ímãs, por meio de um tubo de baixa pressão e a uma velocidade que poderia chegar a 1.200 km/h.

A tecnologia do transporte, idealizada em 2013 por Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX, também enviou um carro ao espaço. Apesar de a ideia ser dele, o empresário não tem relação com a empresa, que começou trabalhar na tecnologia de forma colaborativa.

Para se ter uma ideia, a empresa estima que uma viagem de São Paulo ao Rio de Janeiro, de aproximadamente 444 km, poderá ser feita em até 20 minutos. Mas será que ele é seguro? Os criadores afirmam que o sistema é mais seguro que aviões, tem custos menores de construção e manutenção que os trens de alta velocidade e o uso de energia por pessoa é similar ao de uma bicicleta.

No Brasil, a empresa desenvolverá estudos para aplicar a nova tecnologia, principalmente no transporte de cargas e produtos. O investimento inicial de US$ 7,85 milhões (cerca de R$ 26 milhões) virá de parceria público-privada (PPP), que inclui a HyperloopTT, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Ensino Superior de Minas Gerais (Sedectes) e investidores privados.

Fonte: Simi

Apoiadores