Modelo de escritório compartilhado se consolida em BH

Larissa Borges
outubro24/ 2017

Além de diversas opções de locais privados, capital mineira conta também com coworking no Centro Cultural CentoeQuatro. Espaço faz parte do SEED, o programa de aceleração de startups do Governo de Minas Gerais

Um mercado cada vez mais moderno e dinâmico, onde otimização e inovação são os conceitos da vez. Profissionais mais independentes e um ecossistema mais colaborativo. É neste cenário que desponta o coworking, um novo modelo de trabalho que consiste no compartilhamento de espaço e recursos de escritório, reunindo usuários de diferentes empresas e atuações. Hoje, há muitos espaços dedicados à proposta em Belo Horizonte. Em meio às iniciativas privadas, um coworking que integra um programa do Governo de Minas Gerais se destaca, funcionando a todo vapor em uma fábrica no coração da cidade.

Favorecendo uma cultura de maior interação e colaboração, o coworking apresenta como grande diferencial a oportunidade de fazer networking, incentivando a troca de ideias e a colaboração entre diferentes profissionais, resultando na geração de parcerias e de novos negócios. Outro aspecto a ser destacado, é o valor investido, consideravelmente inferior em comparação ao modelo tradicional de escritório. A estrutura apropriada e privacidade são dois pontos especiais para os profissionais de home office. No campo da inovação, a possibilidade de conhecer outros empreendedores e a ambientação propícia para startups obterem sucesso são as principais vantagens.

Por mais que profissionais e empresas mais tradicionais se preocupem com questões como uma possível falta de privacidade e a internet compartilhada que por isso pode ter a velocidade reduzida, o coworking é uma tendência que se consolida a cada dia, em especial em cidades e regiões que são polos de inovação, como Belo Horizonte. Além do crescente número de escritórios compartilhados privados que são inaugurados na capital mineira, uma ação do Minas Digital, programa do Governo de Minas Gerais, capitaneado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), destaca-se no cenário da cidade. O SEED – Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development, programa de aceleração de startups do Governo Mineiro, conta com um espaço de coworking que ocupa o Centro Cultural CentoeQuatro, onde um dia funcionou uma fábrica de tecidos. No local, os integrantes das startups participantes do programa e usuários do aplicativo Beer or Coffee – mediante agendamento, podem desfrutar de estações de trabalho, salas de reunião, salão de jogos, cozinha compartilhada, espaço de convivência, cafeteria, recepção, ar condicionado, wi-fi e a melhor oportunidade para troca de conhecimento e networking.

Os interessados em conhecer mais sobre o SEED tem uma oportunidade imperdível. O programa vai estar presente na segunda edição da FINIT (Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia), que acontece de 31 de outubro a 04 de novembro, no Expominas, em Belo Horizonte. Nos dias 02 e 03/11, ele fará parte do Boost Accelerator, na Arena de Negócios. Oevento tem como objetivo a geração de negócios entre startups de aceleradoras tradicionais e investidores nacionais e internacionais. O acesso à programação da Arena de Negócios é gratuito mediante inscrição no site.

Fonte: Segs

Apoiadores