Minas Gerais e Portugal fazem parceria que incentiva desenvolvimento sustentável

Redação
fevereiro15/ 2016

Os ministros portugueses da Ciência, Manuel Heitor, e do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, assinaram um protocolo de cooperação científica e tecnológica com o Estado brasileiro de Minas Gerais, no Palácio das Laranjeiras, em Lisboa. O objetivo principal é estimular o desenvolvimento sustentável.

“O protocolo prevê o lançamento de um programa conjunto de Inovação e Desenvolvimento (I&D) e formação avançada orientado para o desenvolvimento socioeconómico sustentável com ênfase em redes de energia e mobilidade urbana de baixa emissão de carbono”, informou o Governo português em comunicado.

Nos últimos 20 anos Portugal tem adquirido experiência no desenvolvimento de formação avançada em sistemas sustentáveis de energia. Por outro lado, o Governo do Estado de Minas Gerais, no Brasil, tem como prioridade ser uma referência internacional na concessão e no desenvolvimento de tecnologias associadas à economia de baixo carbono, realça o Executivo luso.

Além da formalização desse programa que visa o desenvolvimento sustentável, foram assinados dois outros protocolos: um acordo de cooperação científica e tecnológica entre a Universidade do Minho e a Universidade Federal de Minas Gerais e uma carta-compromisso entre a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e o Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEiiA).

Parceria antiga

Em 2015, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, já havia visitado os centros de pesquisa do CEiiA nas cidades de Matosinhos e Maia, na região do Porto, norte de Portugal. Acompanhado pelo presidente da Cemig, Mauro Borges, o governador conheceu os projetos Mobi.me, sistema de gestão e monitoramento de frotas de veículos em tempo real, e o de desenvolvimento de um drone de vistoria de redes elétricas. O governador ainda teve a oportunidade de dirigir um carro elétrico I3, desenvolvido pelo centro de pesquisa português em parceria com uma montadora alemã.

O CEiiA opera projetos pilotos nas cidades de Curitiba, Brasília, Foz do Iguaçu e Campinas, onde é feito o monitoramento de frotas de carros elétricos. O centro de pesquisa português trabalha no desenvolvimento de veículos movidos exclusivamente a energia elétrica (os modelos em circulação são híbridos, utilizando outro combustível além da energia elétrica).

Já os drones são usados no serviço de manutenção de redes elétricas e otimiza o trabalho que hoje é feito por equipes que percorrem por terra grandes extensões das redes. O equipamento, que faz voos programados de até uma hora e meia, faz essa vistoria, permitindo a identificação exata do local onde deve ser feito o reparo. As equipes são enviadas somente a esses pontos. Os drones são movidos a gasolina e voam a uma velocidades de 40km/h.

Fonte: Portugal Digital

Apoiadores