Tecnologia facilita cura de tumores

Téo Scalioni
maio07/ 2015

O câncer no rim é uma doença silenciosa, perigosa e com difícil diagnóstico. Isso porque seus sintomas muitas vezes se confundem com o de outras doenças renais, mas benignas. No entanto, hoje, devido a inovações tecnológicas, o resultado tem sido mais assertivo, oferecendo uma chance maior de cura. Equipamentos como a tomografia computadorizada e a ressonância nuclear magnética, encontrados em hospitais, clínicas e laboratórios de Belo Horizonte, tornaram- se parceiros de médicos para o encaminhamento correto dos pacientes.

De acordo com oncologista Luiz Eugênio de Andrade, antigamente o diagnóstico era feito com o médico apalpando o paciente. Assim, o tamanho correto do tumor era identificado apenas na cirurgia para retirar a lesão. “Na maioria, nesses casos, os tumores já estavam em estágio avançado”, observa. Agora, diz, esses instrumentos inovadores conseguem identificar tumores em fase inicial, o que facilita a cura.

Conforme dados fornecidos pelo especialista, a taxa de mortalidade no câncer do rim é de 50%, considerada alta. Isso ocorre, principalmente, devido à falta de sintomas iniciais. “Os sintomas são associados a outras enfermidades renais, como sangue na urina e dor na região lombar, particularidades também presentes em pacientes com cálculo renal”, explica. Segundo o médico, embora não seja possível identificar exatamente a causa do câncer renal, medidas preventivas são recomendadas: manter uma vida saudável, com dieta rica em fibras e pobre em gorduras, atividade física regular, controle do peso e evitar o uso de tabaco e convívio com quem fuma e a ingestão de álcool em demasia. “Devemos conhecer bem nosso corpo. Qualquer anormalidade, é recomendado procurar um especialista”.

Apoiadores