Startup Júnior vai fomentar a cultura empreendedora nos alunos do ensino médio em MG

Redação
dezembro22/ 2016

‘A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original.’ A frase atribuída ao cientista Albert Einstein ilustra bem o objetivo do Programa Startup Júnior, lançado nesta quinta-feira, 22 de dezembro, pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais.

Incentivar jovens estudantes no ambiente empreendedor para que, no futuro, possam construir os próprios negócios e gerar empregos. Pensando nisso, a Sedectes lançou o programa Startup Júnior, com foco nos alunos do ensino médio da rede pública do Estado. O edital será divulgado no dia 15 de janeiro.

O projeto terá investimento de R$ 12 milhões e deve beneficiar 9 mil alunos da rede estadual de educação. Segundo o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Miguel Corrêa, o propósito vai de encontro às necessidades do Estado em trazer novas perspectivas aos jovens. “Precisamos fortalecer a cultura do empreendedor em Minas. Os jovens terão oportunidade de entender que o emprego público não é mais uma alternativa real de estabilidade”, afirma o secretário.

Ele ressaltou ainda que a conexão dos jovens ao mundo do empreendedorismo é uma ação inovadora no país. O Startup Júnior vai apoiar cerca de 2 mil projetos ao longo de 2017. No evento, estiveram presentes também o secretário de Cultura Ângelo Oswaldo, o presidente da Fapemig Evaldo Vilela, o vereador Juninho Paim e Matt Montenegro, representando a comunidade de San Pedro Valley.

As fases do programa

A primeira fase visa difundir e estimular os alunos à participação. Na segunda etapa, professores-tutores vão ajudar os estudantes na ideação dos projetos com cursos, palestras e uma plataforma virtual de aprendizado. Ao final do processo, os melhores trabalhos serão conhecidos.

O secretário destacou ainda que o Startup Júnior vai respeitar o desenvolvimento de cada região do Estado e suas peculiaridades. Os alunos do Vale do Jequitinhonha, região forte no trabalho em artesanato, poderão buscar soluções que visem a melhoria dos processos no uso da cerâmica, por exemplo.

Fonte: SIMI

Apoiadores