Pão de queijo mineiro faz sucesso nos Estados Unidos

Pão de queijo faz sucesso nos Estados Unidos
Larissa Borges
abril09/ 2016

No Brasil, quem resiste aquele cheirinho de pão de queijo recém tirado do forno? A iguaria é quase uma paixão nacional. Quando se descobre que é pão de queijo mineiro, então, o quitute ainda é mais valorizado.

Em outros lugares do mundo, como os Estados Unidos, essa história é um pouco diferente. Embora, os americanos gostem do pão de queijo ainda há dúvidas de como consumi-lo. Porém, essa realidade está mudando graças a Brazi Bites. A empresa levou o sabor do pão de queijo mineiro para a terra do Tio Sam com muitas novidades e está ganhando mercado por lá.

Junea Rocha, fundadora da Brazi Bites, conta que a ideia de criar a empresa surgiu em 2009. Ela já morava nos Estados Unidos há vários anos e sentia falta do pão de queijo. “As únicas opções eram comprar a mistura online ou produto congelado de qualidade inferior em lojinhas internacionais, que aqui em Oregon são limitadas”, conta.

Foi aí que ela teve a ideia de abrir seu próprio negócio.  Para isso, contou com a ajuda do seu sócio, Cameron. Como uma típica mineira, ela tinha uma receita deliciosa de pão de queijo na família e decidiu aprender sobre como abrir um negócio para lançar a Brazi Bites. “Cresci comendo as deliciosas iguarias mineiras. Pão de queijo, pé-de-moleque, arroz doce, doce de leite, etc. Tudo feito em casa. Quando era criança passava finais de semana na fazenda, sempre observando a família cozinhando e conversando em volta do fogão a lenha. Desde lá me apaixonei por comida feita com os ingredientes mais puros e com amor. Quando tive a ideia de trazer o pão de queijo para o mercado americano, trouxe esses valores para a marca. Somente valeria a pena se fosse o mais gostoso e feito com os ingredientes de maior qualidade no mercado”, revela.

E o sabor, realmente é o diferencial da empresa. Junea afirma que a qualidade dos produtos para fazer o pão de queijo é essencial. Além disso, ela acrescenta que o contato com o consumidor facilita os ajustes necessários a serem feitos no produto.

Mas, se você pensa que é fácil agradar os americanos, se engana. Junea diz que a indústria de alimentos nos EUA é extremamente competitiva. “Soubemos aproveitar o ‘timing’ em 2010, quando a indústria de alimentos naturais estava bem aberta a inovação de pequenas empresas. Enfrentamos mil desafios, o principal foi a falta de conhecimento do produto. Quando lançamos, o americano não entendia como consumir o pão de queijo. A que hora do dia, em que ocasião e com o que. Trabalhamos anos para superar isso, mas ainda é o nosso maior desafio”, frisa.

Mas, a mineira sabe driblar esses desafios. Tanto que já tem mais de 2000 pontos de venda e está expandindo rapidamente a presença da empresa. “Vamos dobrar nossa presença no próximo ano. Já esse ano, estamos lançando um ‘rebranding’ com pacotinhos novos que vão ser ainda mais atrativos. Além disso, estamos desenvolvendo novos produtos e explorando oportunidades de vendas internacionais”, frisa.

A empresa ainda ganhou o Small Business Innovation Award em 2015 e apareceu no programa de televisão Shark Tank, o que aumentou a repercussão da marca no mercado. “Essas divulgações ajudaram a divulgar a marca e despertar curiosidade relativo ao produto, o que está gerando vendas e facilitando uma maior abertura do mercado”.

Com o sucesso nos Estados Unidos, você deve estar imaginando porque Junea não expande a empresa para o Brasil. Ela explica que a indústria de alimentos no Brasil é estruturada de forma diferente, “mas, quem sabe algum dia eu tenha a ideia de outro empreendimento que seja mais interessante para o país, pois amo o Brasil”, finaliza.

Apoiadores