Nubank anuncia lançamento de conta-corrente: a “NuConta”

Redação
outubro25/ 2017

Esqueça as cópias de documentos e comprovantes de endereço para abrir uma conta no banco: o Nubank anunciou o lançamento da “NuConta”, a conta-corrente digital e sem tarifas da fintech.

Quem já possui o cartão de crédito sem anuidade da empresa, precisará realizar apenas dois cliques no aplicativo para abrir a conta, que possuirá o próprio código QR. Para quem foi negado ou simplesmente não possui o cartão, a notícia é boa: não haverá análise de crédito, tornando-a disponível para todos. Assim que a conta é feita, já pode ser usada.

“O mais legal da NuConta é que é para 100% da população brasileira. Uma verdadeira revolução só faz sentido se for pra todo mundo, e é por isso que nossa revolução começa agora”, afirmou David Vélez, CEO do Nubank, no evento de lançamento.

A NuConta é uma conta totalmente digital, desde o atendimento às transações. Os usuários poderão realizar transferências gratuitas ilimitadas entre contas Nu (nesse caso, o dinheiro é recebido em tempo real) e para qualquer banco. A conta do cartão de crédito Nubank, para quem possui, poderá ser paga em débito automático e ter o limite liberado instantaneamente.

Com a NuConta, o consumidor não paga nada e ainda vê o dinheiro render mais que na poupança. Ao colocar dinheiro na conta-corrente, ele começará a render, automaticamente, 8,13% ao ano. A empresa quer tornar os investimentos mais acessíveis para todos os cidadãos, que não precisarão ter uma grande noção do funcionamento para ver o próprio dinheiro mais valorizado.

A acessibilidade é mesmo a palavra que define a NuConta: atualmente, segundo a empresa, mais de 60 milhões de brasileiros não possuem conta bancária, o que representa 30% da população. Com o lançamento da conta-corrente digital, o objetivo da empresa é zerar esse número.

A conta corrente será lançada em versão beta através de convites (que podem ser pedidos no site da Nubank), mas a expectativa é que esteja disponível para todos no primeiro trimestre de 2018.

Por enquanto, na NuConta será possível apenas transferir dinheiro, pagar o cartão de crédito Nubank e ter rendimento – que são realizados através de aplicações em títulos públicos de baixo risco. Não existe cheque especial, o cliente só consegue transferir o dinheiro que já possui na conta, como em um serviço pré-pago.

Em breve, novas funcionalidades deverão ser adicionadas de acordo com a necessidade do público e, segundo Vélez, o boleto bancário deve ser a primeira delas.

Com a NuConta, o pensamento é adiante, mesmo que ainda não haja uma direção estabelecida. O CEO da Nubank afirma que a fintech possui a mentalidade do Vale do Silício, que foca em mudanças à longo prazo. Não se sabe se haverá cartão de débito ou pagamento online – o que a empresa fará é aprender com o comportamento e a experiência do próprio consumidor, seguindo sua filosofia de colocar o cliente como prioridade.

Hoje, a Nubank possui cerca de 2,5 milhões de clientes, desde o lançamento do cartão de crédito em 2014. Por causa da análise de crédito, foram negados pedidos de 8 milhões de pessoas. Apesar de serem produtos diferentes, o uso da NuConta deve facilitar a aquisição do cartão de crédito para novos clientes.

A empresa usará machine learning e inteligência artificial para combater possíveis fraudes e permitirá o uso de apenas uma conta corrente por celular para garantir a segurança. A tecnologia é uma antiga aliada do Nubank, que já realiza atendimentos 24h online por diversos canais de comunicação.

David Vélez afirmou, no evento de lançamento da NuConta, que a Nubank economizou 27 milhões de minutos em agências e call centers. A política sem anuidade da empresa também economizou 1,5 bilhões de “tarifas bancárias desnecessárias”, segundo o CEO.

Mesmo com a criação da conta-corrente, a Nubank ainda não é um banco, mas uma instituição financeira. A licença para tornar-se um banco foi pedida há dois anos para o Banco Central e encontra-se na reta final.

Fonte: StartSe

 

Apoiadores