Não balança e não cai!

Erick Brazil
maio21/ 2015

O carro é praticamente uma extensão de nossas casas. Como passamos boa parte do tempo dentro deles, quesitos como conforto, capacidade de gerar boa climatização, entretenimento e segurança tornaram-se imprescindíveis. Por sua vez, a motocicleta é a grande representação da liberdade, da agilidade em nosso caótico trânsito, da economia de combustível. Mas, por outro lado, é motivo de preocupação de mães, cônjuges e outros familiares, já que são volumosas as estatísticas sobre relatos de acidentes com esse meio de transporte.

E se houvesse um veículo que equalizasse a comodidade  e conforto dos carros com a agilidade e necessidade de mais segurança com as motos? Sim, a ideia já existe!

A americana Lit Motors criou o C-1, um veículo híbrido de duas rodas com motor elétrico de grande autonomia e com um sistema que mantém o veículo estável mesmo se sofrer uma colisão lateral. Ou seja, a invenção aglutina todas as características desejadas para um cômodo, seguro e ágil deslocamento nas cidades.

A inovação veio de Danny Kim, fundador da empresa e criador do veículo elétrico. Hábil e conceituado mecânico da Land Rover, tinha como paixão os veículos off-road e o sonho de criar uma SUV. Após um acidente com um enorme bloco de motor que quase lhe tirou a vida, Danny parou e refletiu o porquê do desenvolvimento de veículos tão grandes, pesados e poluentes se a maioria das pessoas utilizavam seus carros de maneira individual. Foi o momento da reviravolta e quando foi concebido o C-1.

Com força para alcançar os 100 quilômetros por hora em apenas seis segundos e autonomia para andar 320 mil metros com a carga de sua bateria completa, Danny e sua Lit Motors demonstram que não criaram apenas mais um protótipo interessante e bonito que poderá se perder no universo das ideias. Eles estão, de fato, criando o futuro do transporte individual e, para isso, já contam com investidores antenados que, até o momento, injetaram cerca de U$3,5 milhões no projeto, em desenvolvimento há dois anos.

Apoiadores