Movimento maker: filosofia que incentiva a colocar a mão na massa

Larissa Borges
setembro04/ 2015

A maioria dos empreendedores tem uma ideia, mas ela acaba não sendo colocada em prática, pois eles não sabem como fazer seu protótipo. Pensando em solucionar esse problema, surgiu, o movimento maker, que nada mais é do que a filosofia que qualquer pessoa pode projetar e criar produtos e projetos inovadores, resolver problemas do seu dia a dia, como consertar coisas. O movimento acaba de completar 10 anos de surgimento nos Estados Unidos, e é visto como um braço do “do it yourself”, ou “faça você mesmo”, porém com foco na tecnologia.

Em Minas Gerais, o movimento é recente, mas já vemos bons exemplos no mercado, como o Startup Weekend Maker, evento realizado recentemente na Universidade Federal de Itajubá (Unifei), nos dias 28 a 30 de agosto. Em 54 horas, os participantes formaram equipes, criaram suas ideias e construíram um modelo de negócios. Ao todo, 14 equipes participaram e contaram com apoio de aproximadamente 30 mentores, de business, hardware/software e indústria, que ajudaram no desenvolvimento dos projetos.

Outro exemplo é o Laboratório Aberto, situado na Unidade do SENAI localizada no Centro de Inovação e Tecnologia SENAI/FIEMG – CITSF. O Laboratório é um ambiente de aprendizagem, onde pessoas com diferentes perfis e habilidades poderão interagir, de forma colaborativa, para o desenvolvimento de produtos, processos e negócios. Nesse espaço, o empreendedor tem acesso a banco de ideias, capacitações e palestras, assessoria em modelagem de negócio, networking e acesso à Rede SENAI, assim como a um ambiente de prototipagem rápida, em laboratórios orientados a demandas de serviços técnicos e tecnológicos.

Quer empreender? Então, coloque as mãos na massa e se torne um maker!

Fonte: Simi.

Apoiadores