Mineiro de Governador Valadares cria empresa de nutracêuticos na crise e deve faturar mais de R$ 50 milhões em 2017

Redação
agosto28/ 2017

 

“Levou 10 anos para dar certo da noite para o dia”. É assim que o mineiro de Governador Valadares, Shirleyson Kaiser, resume sua jornada empreendedora que começou aos 17 anos, sempre “vivendo de internet” e atuando em negócios online nos segmentos de e-commerce, CPA Mobile, Compras coletivas, Programas de Afiliados e outros.

Depois de quebrar 3 vezes, criou em 2016 aKapsula, empresa do mercado de nutracêuticosprovedora de suplementos encapsulados de compostos naturais. A empresa possui um laboratório no Espírito Santo que detém mais de 300 patentes na Anvisa e toda infraestrutura de suporte de vendas – call center e logística –  em Minas Gerais.  O negócio foi concebidoa partir de uma demanda latente do mercado por uma empresa que cuidasse de todos os processos para que empreendedores digitais pudessem trabalhar com produtos físicos sem ter a necessidade de investir milhares de reais em infraestrutura ou ter que fazer um investimento gigantesco em pedidos iniciais sem ter a certeza de que daria certo ou não o negócio.

O “pulo do gato”de Shirleyson está na rede que utiliza para a venda dos produtos e a consultoria completa que oferece aos seus clientes que vai desde a pesquisa de mercado, definição de marca e design da embalagem, passando pelo apoio jurídico, fabricação, apoio na comercialização dos produtos e suporte de atendimento ao consumidor final, perfazendo o processo de produção de ponta a ponta como uma espécie de Franquia.

A Kapsula hoje tem mais de 50 clientes diretos que somam mais de 1 milhão de consumidores finais que compram e recompram seus produtos. “A qualidade, a metodologia de vendas e o suporte ao consumidor final fazem a equação perfeita que gera os resultados da Kapsula”, conta Shirleyson Kaiser que trouxe para o negócio toda sua vivência no mundo da internet para a empresa nutracêutica: “A internet movimenta bilhões de dólares. Bill Gates disse uma vez que no futuro só existiriam 2 tipos de empresas, as que fazem negócios online e as que não fazem negócios. Já estamos no futuro”, resume.

Jornada do herói

Ainda menino, aos 17 anos, Shirleyson Kaiser saiu de sua cidade natal para Passo Fundo (RS) onde teve seu primeiro (e único) emprego de carteira assinada. “Fui atuar como designer em uma empresa decomunicação visual chamada TecnoVisual. Fiquei lá 45dias e pedi para sai”, relembra, explicando que com o acerto decidiu investir em seu primeiro empreendimento. “Queria atuar no ramo de internet. Com 590 reais dei entrada num computador e comprei o restante de macarrão instantâneo para sobreviver. Busquei nos Estados Unidos uma maneira de rentabilizar sitese blogs de conteúdo e montei uma empresa que fornecia campanhas para celular, em seguida lancei os protetores de links que foi febre no Brasil por uns 2 anos seguidos e ajudou muitas pessoas a levantarem grandes fortunas com a internet”, conta o empreendedor que relembra que o resultado deste primeiro negócio foi impressionante para um rapaz de 17 anos. “Ganhar o que ganhei na época era algo simplesmente indescritível, pena que com essa idade não possuía maturidade suficiente para administrar melhor a empresa e, assim, ela acabou fechando por má administração”

Tempos depois se mudou para Campinas e montou um negócio que fornecia produtos pra empresas de compra coletiva. Na época, essas empresas ofereciam apenas serviços e como Kaiser conhecia algumas pessoas do segmento, convenceu algumas dessas plataformas a trabalhar também com produtos. “Esse foi meu segundo negócio, nós ficaríamos responsáveis pela importação e venda desses produtos físicos, com grandes ofertas”, conta. A empresa faturou milhões de reais, mas após desacordo com os sócios, novamente perdeu tudo e teve que recomeçar do zero.

“Depois de algum tempo me mudei para a Fortaleza foi quando ouvi uma frase que mexeu bastante comigo: “depois de afundar três navios, parei de culpar o mar”. Foi aí que decidi que precisavaaprender sobre gestão. Eu só tinha sétima série, então fui aprender na prática como era gerir um negócio. Assim, aceitei um emprego de programador em uma multinacional. Minha dedicação fez com que em menos de seis mesesme tornasse diretor de expansão internacional. E fui convidado pelo CEO para implantar uma nova unidade da empresa no México”, conta Shirleyson. Segundo ele, atuar como funcionário em uma grande empresa trouxeconhecimento sobre processos, gestão e governança.

Depois de vivenciar essa experiência como colaborador em uma grande Instituição, Kaiser percebeu que era hora de retornar para sua terra e se dedicar à sua vocação, que é de empreender: “Meu objetivo sempre foi fazer a diferença, mudar a vida das pessoas, ensinar a crescerem, contribuir com o crescimento com minhas principais motivações”. Assim surgiu o Grupo Kaiser, uma fábrica de negócios que cria, testa e vende produtos e que nasceu com o objetivo de levar qualidade de vida, saúde e beleza aos clientes por meio da internet.

 

Apoiadores