Microcity: há mais de 30 anos vivendo a inovação

Larissa Borges
março07/ 2017

De locação de equipamentos a outsourcing de infraestrutura de TI em Lan e Desktops. A Microcity é uma empresa que soube se reinventar e inovar para permanecer no mercado de tecnologia, que todo dia lança alguma novidade.

O sucesso da empresa, que nasceu em Minas Gerais em 1984, mas tem amplitude nacional se deve a mente de Luis Carlos Nacif, que criou um modelo de negócio diferenciado, dinâmico e altamente competitivo, com estratégias de marketing ousadas e forte atenção a programas de gestão de pessoas. Formado em Engenharia Florestal na Universidade Federal de Viçosa e em Comunicação Social na PUC Minas, já recebeu do jornal Diário do Comércio o prêmio “Executivo Destaque em Liderança, Inovação e Empreendedorismo” e pela IT Midia o prêmio de “Melhor Executivo de TI do Ano”. Ao mesmo tempo a Microcity foi destaque no ranking “As Melhores da Dinheiro” publicada pela revista IstoÉ Dinheiro.

Conversamos com Luis, que nos contou sobre a evolução da empresa, como se preparar para a 4ª Revolução Industrial, o que é uma empresa bimodal e as tendências para o segmento de tecnologia para esse ano. Confira:

 

Minas Inova (MI)– Como a empresa está se preparando para a 4ª Revolução Industrial?

Luis Carlos Nacif (LCN)  – A 4ª Revolução Industrial se dará no campo digital, onde a tendência se concentra em promover melhores experiências para o cliente no uso da tecnologia aliada ao mundo real. A tendência de “uberização” dos negócios obriga a uma nova postura diante de um mundo que necessita orquestrar a convivência entre os modelos tradicionais de TI ou de se fazer negócios com os modelos inovadores que revolucionarão os mesmos. A Microcity tem o perfil de sempre se antecipar frente às tendências do mercado de TI. Atenta à essa tendência da TI Bimodal, aquela que une a TI Tradicional, que objetiva estabilidade, integração e eficiência operacional), com a TI Inovadora, que se diferencia pela rapidez, agilidade e experimentação, estamos caminhando rumo a um novo modelo de negócio desde o ano passado. Desde 2016, estamos conduzindo a nossa gestão de maneira a transformar a Microcity em uma empresa bimodal e não somente numa empresa que oferece a TI Bimodal. Para isso, evoluimos o nosso modelo de negócios tradicional para uma plataforma de negócios híbrido, onde o mundo on premisse convive em harmonia com o mundo cloud. Assim, criamos um conceito e uma solução que está alinhada ao novo momento da empresa e é mercadologicamente atrativa para o cliente (conceito da Cloud Trimodal), desenvolvendo parcerias estratégicas com players do mercado que agregam valor ao portfólio com foco em soluções de cloud. Também criamos as Business Units (BU) para as parceiras estratégicas e as Torres Tecnológicas focadas em suportar as ofertas de tecnologia para um mundo híbrido, além de investir no desenvolvimento de ofertas híbridas. Para isso, criamos um grupo de P&D para estudo e desenvolvimento de novas soluções (TechSeekers), além, é claro, de estar promovendo o aculturamento interno por meio de palestras, eventos, fóruns, treinamentos e campanhas para a disseminação do conceito bimodal. Não basta somente a TI ser Bimodal. Para enfrentar os desafios da 4ª Revolução Industrial temos que transformar todas as áreas da empresa em áreas bimodais. Este é o caminho para a Empresa Bimodal.

 

MI – O que são nativos digitais? Como se preparar para conquistar esse público?

LCN – Nativo digital é aquele que nasceu e cresceu com as tecnologias digitais presentes em sua vida, também conhecido como geração Y  e millennials. É uma geração, nascida a partir de 1980, criada em aplicativos e tablets. O público que não conhece a vida sem o “online”, é mais exigente e valoriza questões diferentes no momento de fechar um negócio, reflexo do fato de serem mais bem relacionados, mais tecnicamente habilitados e mais visionários, sem contar que o empreendedorismo está nas veias. No Brasil, a consultoria Booz Allen diz que a geração millennials será 44% da população economicamente ativa, previsão de 2016, movimentando R$ 268 bilhões. Eles são profissionais e pessoais ao mesmo tempo, jogam enquanto trabalham e trabalham enquanto jogam. Como clientes, são mais exigentes. Não basta que ele goste de sua empresa, ele precisa ser encantado pela sua empresa. Para tanto, é necessário o investimento em ofertas mais exclusivas e personalizadas. É necessário criar um relacionamento mais próximo, mas com diferencial. Dessa maneira, é preciso investir em ações de marketing digital e relacionamento como inbound Marketing – conteúdo online para geração de lead e posicionamento, ter um site com foco em portal de conteúdo, trabalhar com mais infográficos animados para comunicação – pocket vídeos, criação de Authors: personas para geração de conteúdo constante, trabalhar funil de marketing – pipeline digital e investir em projeto de branding: mapear ‘momentos da verdade’ e desenvolver projeto para inovação. Fonte: Estudo Millennial Survey da Deloitte http://www2.deloitte.com/pt/pt/pages/human-capital/articles/geracao-millennial.html

 

MI – O que é a empresa bimodal?

LCN – Modelo bimodal é aquele que tramita em dois estilos diferentes, mas de maneira coerente e com foco em resultados. É unir o modelo modal 1, aquele previsísivel, corriqueiro e já consolidado na organização ao modelo modal 2, que é mais exploratório, focado na experimentação para solução de novos desafios e na inovação constante. Ser bimodal nos negócios é conseguir realizar tudo isso considerando cultura organizacional, gestão/ indicadores, modelo de negócios, portfólio de produtos, posicionamento institucional, desenvolvimento de liderança / gestores, perfil dos colaboradores, entre outras questões essencias para não se perder a essência da Insituição e, ao mesmo tempo, não perder espaço no mercado.
MI – A empresa começou no segmento de locação de equipamentos e hoje é uma empresa Outsourcing de Infraestrutura de TI de LAN & Desktops. Como aconteceu essa evolução? O que fez com que a empresa ampliasse o seu ramo de atuação?

LCN – A Microcity nasceu em 1984 como uma revendedora de computadores, após o período miltiar. Em 1990, transformamos o modelo de negócio e deixamos de vender equipamentos para alocá-los, acreditando na tendência de no futuro as empresas terceirizarem sua infraestrutura de TI para focarem no seu core business. Junto da locação dos equipamentos, passamos a oferecer vários serviços de forma a agregar valor a oferta. Em seguida, por volta de 1994, iniciamos a gestão com foco no cliente e passamos também a financiar equipamentos. Posteriormente, iniciamos parcerias no Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Brasília e inovamos com a criação do Módulo de Serviços e Suporte (MSS), diversificando os serviços para atender demandas específicas. Em 1999 aconteceu uma grande mudança de estratégia, alteramos nosso objetivo comercial do conceito de Venda para o conceito de Relacionamento. Assim, conquistamos um posicionamento estratégico de intimidade com os clientes. Já em 2004, ampliamos nosso modelo de negócios, nos posicionando no segmento de Outsourcing de Infraestrutura de TI e passando a oferecer toda a solução de infraestturua de TI com serviços, suporte, entrega e gerencia dos ativos e usuários. Lançamos  novas ofertas de soluções de negócios em desktops, impressão, servidores, segurança e comunicação IP. Conquistamos, em 2006, pela primeira vez, a liderança do segmento de outsourcing de infraestrutura de TI em Lan e Desktops. Desde então, vamos aprimorando e inovando os nossos serviços e soluções. Estamos no momento em que percebemos que precisávamos oferecer aos clientes soluções de cloud, afinal, estamos na era do mundo híbrido. Diante disso, evoluimos o nosso modelo de negócios para uma plataforma com ofertas híbridas, complementada com a solução de cloud trimodal, que entrega soluções em nuvem pública e privada com a nuvem de serviços Microcity. Mais uma vez, demos um passo à frente do mercado.
MI – Qual o diferencial da Microcity no mercado?

LCN – Temos o lema com os nossos clientes “Fazemos quase tudo para que você faça quase nada”. Ao contratar a Microcity o cliente não tem que se preocupar mais com seu ambiente de infraestrutura de TI.Tudo passa a ser responsabilidade nossa. Além disso, quando uma empresa contrata a Micocity ela  se torna, automaticamente, uma empresa sustentável porque neutralizamos toda a emissão de carbono da operação de infraestrutura do cliente.

Fornecemos Infraestrutura de TI como serviço para médias e grandes empresas de todo o território nacional e é conhecida por sua excelência em gestão. Fomos premiados nos últimos anos em gestão financeira, gestão sustentável, empreendedorismo, além dos reconhecimentos regionais e nacionais como uma das melhores empresas para se trabalhar. Nós priorizamos a sustentabilidade e neutralizamos todo o CO2 emitido pelo consumo de energia elétrica da nossa operação com o plantio de mais de 50 mil árvores. Por meio das nossas filiais e parceiros, nos consolidamos como uma importante integradora nacional de TI, tendo uma plataforma de serviços completa composta de datacenter on premisse e na nuvem, além de serviços de  monitoramento, administração e gerenciamento de todo este ambiente. Para isso, contamos com a parceira de grandes empresas como Microsoft, HPE, Oracle, CA, VMWare, Cisco e outros.

 

MI – Como avalia o segmento de inovação e tecnologia de Minas Gerais?

LCN – Minas Gerais tem se destacado no cenário de inovação, tanto no Brasil quanto no mundo. É considerado o Estado com o maior número de incubadoras do país e a segunda maior base de startups, alguma delas de destaque internacional como Samba Tech, Hotmart, Rockcontent, Meliuz (informação no site da Finit realizada ano passado – http://finit.mg.gov.br).
MI – Recentemente a empresa lançou o serviço de Cloud Trimodal, que integra as três modalidades de cloud: pública, privada e a nuvem de serviços para ambiente híbrido. Qual o objetivo desse serviço? Como ele funciona? Como está sendo o retorno do mercado?

LCN – O objetivo principal desse serviço é proporrcionar que o cliente faça a sua jornada para a nuvem sem medo e preocupações em colocar seu ambiente de processamento em risco. No momento que integramos  as três modalidades de cloud, pública, privada e a nuvem de Serviços Microcity garantimos a disponibilidade da operação e a orquestração do ambiente híbrido. Esse serviço foi desenvolvido especialmente para atender às novas demandas geradas pela TI Bimodal, por isso integra as nuvens pública e privada, aos serviços oferecidos pela Microcity. Nossa proposta é oferecer soluções de última geração no modelo “as a service”, que inclui mão de obra especializada e as melhores práticas de implantação e suporte a esse ambiente híbrido.

As operações realizadas nesses ambientes são controladas por meio de monitoria e suporte contínuo. Gerenciamos toda a experiência do usuário e entregamos análise do ambiente, professional services, back office da nuvem etc., tudo de forma modular e complementar. Para desenvolver a oferta dos serviços que englobam a Cloud Trimodal, a Microcity firmou parcerias com os principais players globais de tecnologias, como Microsoft, Oracle, CA Technologies, Amazon Web Services (AWS), HPE (Hawlett Packard Enterprise), Lenovo, entre outros. As ofertas da Cloud Trimodal incluem o PCaaS (PC as a Service) híbrido, Cloud PBX híbrido (solução de comunicação unificada), B&R as a Service (Backup e Restore as as Service) e GU (Gerenciamento Unificado). A partir da nossa oferta, os clientes podem utilizar os ambientes híbridos como se fossem um único local. Assim, quaisquer informações podem ser inseridas, analisadas e acessadas na nuvem com total segurança, sejam informações restritas, como planejamentos, receitas, dados de clientes e fornecedores, ou abertas aos funcionários e clientes, como lançamentos de produtos e dados de pontos de vendas, por exemplo.


MI– Quais as principais tendências para o setor de tecnologia da informação para 2017?

LCN – De acordo com o consultor, Reinaldo Roveri, da empresa Statrica, que ministrou uma palestra no inicído de feveriero para o time de Vendas da Microcity, o mercado que mais cresce no segmento de TI é o de outsourcing. Ele prevê um crescimento médio anual de 12,9%, e até 2019 o segmento será responsável por 47% da fatia do mercado de serviços de TI. Segundo ele, as perspetvias para o período de 2017-2019 é de que o mercado retome o crescimento gradual, um cenário econômico com maior previsibilidade e há um limite do “não investimento”. Projetos de Infra Refresh, DCs, Bkup, retomam forte. A tendência é que o mercado de serviços de TI acelere mais rápido que os demais, puxado por Outsourcing e Modelo Cloud. O que sinaliza que a Microcity está no caminho certo ao investir nas suas soluções para TI Bimodal, sendo que o outsourcing é o mercado que mais cresce por ser uma alternativa para a redução de custos, flexibilidade de caixa e complexidade da TI. A previsão é de que uma em cada três empresas aumente o número de serviços terceirizados que contrata, contudo, as renegociações e pressão por preço devem continuar. Reinaldo apresentou dados extraídos da Pesquisa “Antes da TI, a Estratégia – Edição 2017 o mercado seguirá competitivo”, que destaca o panorama atual do segmento: o momento é ruim mas, apesar disso, a economia já apresenta sinais fortes de retomada; crises provocam transformações e, como no passado, sairemos mais fortes do que entramos (Melhor portfólio, melhores habilidade em vendas, melhor entendimento do cliente etc.); as empresas seguirão em busca de maneiras menos custosas e mais flexíveis de consumir TI e, neste contexto, Cloud é uma realidade que veio para ficar. Os Cloud Services Brokers serão cada vez mais demandados. Qualidade  de atendimento e parcerias serão mais importantes do que nunca.

Apoiadores