Lean startup: conheça o método que revolucionou o empreendedorismo

Redação
novembro08/ 2017

Lean startup significa, pela tradução, “startup enxuta”. Criada por Eric Ries e divulgada em seu livro de mesmo nome, a ideia é exatamente a de “enxugar” os processos de criação de uma startup. A verdade é que, para ter sucesso nesse meio, você não pode pensar como um gerente tradicional.

Partindo de experiências com a abertura de startups, Eric lançou o livro em 2011. Desde então, muitas empresas surgiram e se mantiveram no mercado, seguindo seus preceitos. No Brasil, o mercado de startups cresceu bastante. Só em 2015, o número de empresas inovadoras teve um crescimento de 18,6%.

Para aplicar o lean startup, o empreendedor precisa ter em mente a diminuição de desperdício de tempo, custo e recursos e, ao mesmo tempo, entregar cada vez mais valor ao cliente. Utilizando as técnicas, é possível chegar a bons resultados. Mas exige-se dedicação e cuidado para não correr o risco de interpretar as práticas de forma incorreta.

A seguir, vamos comentar alguns conceitos do lean startup para que você  compreenda esse mundo. Quem sabe a sua ideia não comece a ser desenvolvida hoje? Vamos lá!

DESCUBRA A VISÃO

Junto com a criação do seu modelo de negócios, você precisa descobrir a visão da startup. Segundo Eric, essa é a parte mais importante, que mantém a sua essência desde o começo e não se altera, mesmo que seus produtos mudem.

Tenha uma estratégia clara, que contemple o lugar aonde você quer chegar. Procure ter uma boa ideia de mercado e um planejamento de produto. No fim, essa é a sua primeira ideia de entrega de valor, o que você deseja colocar no mercado e algo com o qual quer trabalhar.

Ajuda bastante trabalhar no Canvas nessa fase. Se quiser aprender a preencher o seu, acesse nosso post.

Eric Ries ainda foi o autor que cunhou o conceito de pivotagem. Isso significa fazer uma virada estratégica da empresa sem mudar a visão. Pode ser uma mudança que passe a contemplar apenas uma parte da empresa, por exemplo.

Exemplificando, o Flickr nasceu de uma pivotagem. Antes, ele era um jogo de computador no qual as pessoas faziam uploads de fotos. Só que eles perceberam que os jogadores entravam lá muito mais para usar essa função do que realmente para jogar.

A solução foi transformar o produto, reduzindo tudo somente ao serviço de upload. Deu muito certo porque perceberam que era isso que as pessoas desejavam.

VALIDE PARA APRENDER

A validação é uma das coisas mais importantes da metodologia lean. Eric diz que é preciso focar no que os clientes realmente querem e para isso não basta o seu palpite.  Ele defende até mesmo a prática de validação constante, sempre para realizar ajustes baseados no que o público almeja.

Essa validação pode vir de diversas formas. A conversa com os próprios usuários é uma delas. Se você acreditar que vai gastar muito tempo fazendo isso, lembre-se de que lançar um produto no qual as pessoas não têm interesse ou não sabem usar pode fazer o desperdício ser muito grande.

Para validar, é preciso contar com os números e a análise do comportamento dos usuários. Se  traz bons resultados, a mudança pode ser mantida; caso contrário, deve ser removida.

Eric ainda ensina no livro que o método de criação de uma startup deve ser científico, baseado na experimentação. Comece com uma hipótese, por exemplo: “Se vendermos em lojas físicas, as pessoas vão comprar mais”.

Depois, aplique em uma escala pequena e determine períodos para testar. Se der certo, você fica mais confortável para definir isso em relação a todo o resto.

Aprenda mais sobre como fazer testes de validação neste post.

FAÇA UM MVP

Antes de lançar um produto propriamente dito, o ideal é que você crie um MVP (Minimum Viable Product ou Mínimo Produto Viável). A ideia é a seguinte:

  • Minimum (mínimo): o menor tamanho possível, que possa ser entregue no menor tempo possível.
  • Viable (viável): uma proposição de valor importante o suficiente para que seu principal cliente queira adquirir esse produto.
  • Product (produto): funcionalidades encaixadas em uma entrega que se assemelhe a um produto coeso e útil.

Na Zappos, e-commerce de sapatos norte-americano, o MVP consistiu não em lançar uma loja virtual logo de início, mas em fazer a venda manualmente.

Os empreendedores iam até as lojas físicas, tiravam fotos dos sapatos e se alguém comprasse, enviavam o produto para a pessoa. Assim, viram que realmente existiam interessados naquilo e efetivamente abriram o e-commerce.

Já o MVP do Dropbox foi apenas um vídeo, por meio do qual os fundadores divulgavam a visão do produto e pediam para que as pessoas deixassem seus e-mails, caso estivessem interessadas. A lista foi tão grande que perceberam como valeria a pena.

Startups necessitam do lean startup. Imagine o quanto seria difícil convencer bancos a emprestar dinheiro para o desenvolvimento de um produto bem pouco palpável. Foi necessário começar pelo “outro lado”, conversando com as pessoas primeiramente.

POR QUE O LEAN STARTUP É IMPORTANTE

O lean startup revolucionou o mundo das startups porque tornou mais concreta a possibilidade de lançar um produto sobre o qual ninguém tem uma ideia formada ainda.

Com ele, não é preciso investir pesado desde o início com pesquisas de mercado, desenvolvimento e estrutura. Entretanto, é bom lembrar que nem tudo é fácil.

Ao aplicar a metodologia lean startup, você precisa estar aberto às falhas. Elas podem acontecer e, na maioria das vezes, realmente acontecem. É importante estar preparado para isso, tanto financeiramente quanto estrategicamente.

Afinal, falhar não significa que você precisa desistir. Pode apenas mostrar que é indispensável pivotar ou que você não estava focando no público certo.

Para você ter uma ideia de como o lean startup é importante, empresas como a Amazon e o Facebook nasceram e cresceram dentro da metodologia. Aqui no Brasil, a Easy Taxi foi uma das primeiras a aplicá-lo.

Além disso, ele não é direcionado apenas a novas e pequenas empresas. O lean startup também pode ser utilizado para produtos inovadores de organizações tradicionais, como a Toyota.

Eric Ries fala disso no livro, mas enfatiza que as companhias que querem lançar produtos inovadores precisam separar uma equipe só para isso, focada em testar e aprender – e com liberdade para tal. Se não, o pensamento tradicional toma conta, e as coisas podem não fluir.

E, você tem uma ideia de startup? Então, já pode começar a trabalhar nela utilizando os conceitos do lean.

Fonte: Sebrae Inovação

Apoiadores