Escolas públicas de Sabará e BH terão a sua primeira “Feira do Aluno Empreendedor”

Larissa Borges
outubro20/ 2016

Como fazer com que os alunos nas escolas públicas possam ter uma educação empreendedora? Pedindo para eles para pensarem “fora da caixa”. Foi assim que surgiu a ideia da primeira “Feira do Aluno Empreendedor”, que irá acontecer, no dia 22 de outubro, na Escola Estadual, Professor Zoroastro Viana, no centro histórico de Sabará e no dia 03 de dezembro, na Escola Estadual Professor Alisson Pereira Guimarães, em Belo Horizonte.

A proposta de incentivar os alunos do curso técnico de administração veio da professora  Érica Rocha. Formada em administração de empresas pela Unifenas – BH, especialista em gestão de negócios pela Fundação Dom Cabral e empresária, Érica explica que o objetivo de criar a “Feira do Aluno Empreendedor” foi de transformar os alunos em profissionais capacitados para vencer e se destacar no mercado de trabalho. “A ideia surgiu em um momento muito especial em minha vida, quando comecei a dar aulas no Curso Técnico de Administração para os alunos do ensino público. Eu percebi que estes alunos têm um grande potencial empreendedor. Aí, veio a parceria entre as escolas e os professores do curso para criar o evento”.

Durante a feira, os alunos irão apresentar os trabalhos que foram realizados em sala de aula. Esses trabalhos consistem em um produto ou serviço inovador voltados para a comunidade. O evento, que será aberto ao público a partir de 9h, irá envolver cerca de 190 alunos das duas escolas. “No total serão 25 projetos desenvolvidos nas duas escolas. Os projetos estão bem diversificados e envolvem as áreas de alimentação, produtos de limpeza e beleza sustentáveis, artesanatos envolvendo inovação e sustentabilidade, brinquedos para deficientes visuais, produtos para transportes de animais domésticos, tecnologia para melhorar o processo de bilhetagem do transporte público, caixa organizadora de remédios com sinalizador eletrônico de horário, entre outros. Todos os projetos têm como base principal a inovação”, afirma Érica.

Com o projeto, os alunos puderam entender o conceito de empreendedorismo. Victor Oliveira Silva, 17 anos, cursa o segundo ano da Escola Estadual Professor Alisson Pereira Guimarães. Ele conta que criar um produto do zero é muito interessante para o seu aprendizado e que está animado em apresentar sua ideia para a comunidade. “A minha expectativa é que o nosso projeto possa sair do papel para ajudar nosso público-alvo: os idosos”, revela.

O estudante ainda afirma que, durante o projeto, desenvolveu mais a sua criatividade e determinação. “A todo momento surgia uma nova ideia, e com todo empenho eu e meus colegas tentávamos buscar maneiras para colocá-las em nosso projeto. Esse trabalho exigiu que eu saísse da minha zona de conforto, o que me deixou muito satisfeito, pois me surpreendi com os resultados que estamos conseguindo ao longo do projeto”, frisa.

Essa iniciativa mostra o quanto é importante estimular a formação mais técnica no ensino médio das escolas públicas. “Hoje, o Brasil possui um grande número de empreendedores que surgem por necessidade e muitas vezes não tem a capacidade de desenvolverem seus projetos por falta de conhecimento e apoio. Com o ensino do conceito de empreendedorismo nas escolas públicas, os alunos terão maior capacidade de adquirirem conhecimentos, técnicas e habilidades para se desenvolverem de forma correta no mercado, seja como empreendedor do seu próprio negócio ou um como um empreendedor corporativo, que é aquele que empreende em empresas de outras pessoas”, observa Érica Rocha.

Curioso para descobrir mais sobre as ideias dos alunos? Então, participe da “Feira do Aluno Empreendedor” e ajude a fortalecer ainda mais essa iniciativa.

Apoiadores