Big Data ajuda empresas a aumentarem a eficiência

Big Data ajuda empresas a aumentarem a eficiência
Redação
março01/ 2016

2015 foi um ano de retração econômica e dificuldades no mercado empresarial e, para este ano, as perspectivas econômicas permanecem desfavoráveis. Em um cenário marcado por incertezas, qual o melhor caminho para continuar firme no mercado e encontrar saídas otimistas? O big data pode ser a solução.

Muitas empresas já trabalham para adequar seus produtos ao novo momento econômico. Algumas empresas do Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC) caminham nesta direção, como a Zunnit, que oferece serviços de análise de dados para empresas. O trabalho da Zunnit é desenvolver plataformas tecnológicas com algoritmos capazes de interpretar uma grande quantidade de informações. “A ferramenta pode identificar, por exemplo, quais aspectos causam mais impacto na receita de uma empresa em meio a centenas de opções”, explica o professor Nívio Ziviani, diretor da empresa.

Informação é chave

Além de ser uma saída para que corporações consigam diferencial competitivo de curto prazo em um cenário de crise, o big data é tendência mundial em amplo crescimento no Brasil. Um relatório elaborado pela Frost & Sullivan prevê que a atividade deverá crescer 31,7% ao ano, podendo se tornar um mercado bilionário em 2018.

As soluções que o algoritmo para análise de dados pode oferecer é aplicável nas mais diversas atividades. Em um momento no qual realocar profissionais pode ser uma estratégia para que empresas continuem ativas no mercado, o recurso tecnológico pode ser usado para reavaliar toda a linha de produção de uma indústria, por exemplo, determinando os pontos nos quais a intervenção humana é realmente necessária.

Adaptação inteligente

Criar soluções para redução de custos alinhadas às inovações do mercado também é a estratégia da Target, que oferece serviços de comunicação e treinamento profissional para a indústria. “Nossos principais clientes são mineradoras e siderúrgicas, setores fortemente impactados pela crise. Das conversas com esses clientes nasceu a ideia de lançar um produto mais adequado para as necessidades atuais”, afirma o diretor da empresa, Sérgio Vilhena.

Especializada no desenvolvimento de treinamentos personalizados, a Target conta, agora, com uma plataforma própria de treinamentos, com custo reduzido e menor demanda de envolvimento do cliente – sem deixar de lado a estratégia de foco no aprendizado e engajamento. O Target Academy é a aposta da empresa para 2016. “No Academy temos o Laboratório de Conteúdo, que tem como objetivo transformar o conhecimento de especialistas do mercado em conteúdos didáticos online da melhor qualidade. A expectativa é que o segundo semestre seja mais favorável, para que possamos colocar a plataforma no mercado, completa.

De olho na relevância que o big data vem ganhando, a Target também trabalha no desenvolvimento de ferramentas capazes de fornecer informações com base na interpretação dos dados de acesso dos usuários. “Se um vídeo da plataforma é, frequentemente, assistido repetidas vezes por um mesmo usuário, isso pode significar que aquele conteúdo não está sendo assimilado com muita clareza. Esse tipo de informação é fundamental no processo de melhoria contínua dos treinamentos”, conta Sérgio.

Sobre o BH-TEC

Com o objetivo de fomentar o desenvolvimento econômico pautado no conhecimento, o Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC) reúne 27 empresas/instituições de tecnologia em ambiente único de inovação, integração e troca de conhecimento.

Apoiadores