Aplicativo ajuda pais acompanharem o dever de casa

Téo Scalioni
julho22/ 2015

Com o objetivo de estreitar a relação entre estudantes, família e escola, a Cora Educação Facilitada, empresa incubada na Inova da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), criou uma plataforma que dá suporte aos alunos no dever de casa. O aplicativo Cora Dever de Casa oferece estratégicas de apoio aos estudantes para fazerem sua lição, possibilitando que os pais, mesmo de longe, acompanhem o desempenho dos filhos, assim como feedback escolar.

Na plataforma, o plano de estudo do aluno fica disponível com todos os deveres para a família acompanhar direto do smartphone. Além de ter acesso aos deveres, os pais ainda recebem sugestões de atividades complementares (como livros e jogos) alinhadas ao que o aluno está estudando no momento. Um alerta preventivo é enviado, avisando quando o prazo para alguma tarefa estiver expirando.

A ideia de se criar o Cora Dever de Casa surgiu pelo fato de hoje em dia, devido à correria dos pais, eles acabam ficando sem tempo de acompanhar as atividades extraclasses dos filhos. “Identificamos em pesquisas que essa ferramenta de ensino está comprometida. Professores de ótimas instituições relataram que até 80% dos seus alunos não faziam o dever de casa”, observa uma das idealizadoras do Cora Dever de Casa, Cecília Passagli.

A partir daí, a ideia de unir a tecnologia como uma poderosa ferramenta para informar os pais das atividades do filho, possibilitando assim ações de intervenção mais pontuais na educação da criança. “O aplicativo pretende  resolver o problema da inadimplência do dever de casa, envolvendo todos os atores alunos – professores, gestores e família na nossa solução”, acredita Cecília.

O aplicativo está em fase de comercialização e deve ser implementado a partir de setembro. O plano é vender a licença de utilização para algumas escolas e cobrar uma mensalidade pela utilização. No momento, algumas instituições já mostraram o interesse em obter o Cora Dever de Casa. “Escolas que estejam prontas para adotar a tecnologia em prol da educação”, afirma Cecília.

Apoiadores