abeLLha implementa gestão horizontal

Redação
novembro23/ 2016

De 1 a 3, quão motivado você está para desempenhar determinada atividade dentro de uma empresa? E quanto você se sente capacitado para fazer isso? Existe alguma outra atividade dentro do que a empresa precisa que você gostaria de fazer? Foi basicamente dando liberdade para que cada um pudesse responder essas perguntas sem nenhuma pressão que a abeLLha, incubadora social fundada por Ana Julia Ghirello, conseguiu criar um sistema de gestão totalmente horizontal e em que cada membro da equipe conseguisse escolher o trabalho que iria desempenhar.

“A gente acredita que, se as pessoas escolhem o que querem fazer em uma empresa, elas podem desempenhar sua função com muito mais motivação e não precisamos de alguém para fiscalizar se o trabalho está sendo feito”. É isso mesmo, dentro da abeLLha ninguém é chefe de ninguém. Uma vez por mês as pessoas se reúnem novamente para olhar a lista de atividades, ter certeza de que as coisas estão andando como o desejado e checar se a motivação de alguém mudou ou se ela tem vontade de atuar em outra área dentro da empresa.

“É muito claro o poder de conectar propósito pessoal com o da empresa. Isso cria uma conexão grande das pessoas com o negócio, que é traduzido na performance da empresa, pois as pessoas têm clareza da razão de estarem ali e autonomia para trabalharem no que desejam”, conta Ana Julia.

O modelo desenvolvido dentro da abeLLha foi batizado de Honeycomb e mistura conceitos de OKR (Objetives and Key Results, um sistema de gestão focado nos objetivos da empresa desenvolvido nos anos 70 e muito popular em empresas de tecnologia) e de Holocracia (sistema de gestão totalmente horizontal em que a organização gere a si mesma, e não seus donos). Atualmente, além de ser o modelo de gestão da própria abeLLha, é implementado nas 12 startups que recebem mentoria na abeLLha e em duas outras empresas que viram o potencial e contrataram consultorias para implementar o Honeycomb.

Essa contratação fez com que a abeLLha resolvesse investir para lançar um webapp do Honeycomb (que por enquanto funciona apenas como uma tabela de excell) disponível para empresas e startups que quisessem testar a plataforma. O serviço deverá estar pronto no início de 2017.

Apoiadores