Primeiro crowdworking brasileiro criado pelo Inatel, Telefónica e Ericsson inicia atividades em abril

Redação
março08/ 2016

O Inatel – centro de excelência em ensino, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias, localizado no sul de Minas Gerais – foi escolhido para integrar o programa global que agrega todas as iniciativas relacionadas ao empreendedorismo e à inovação aberta do Grupo Telefónica, o Telefónica Open Future. Em parceria com o Grupo e com a Ericsson, o Instituto vai abrigar o primeiro crowdworking do Brasil, ambiente em que empreendedores poderão desenvolver seus projetos e contar com uma série de benefícios, sob o olhar de aceleradoras.

Os espaços físicos que compreendem a Incubadora e a Pré-Incubadora de Empresas e Projetos, e ainda, o Laboratório de Criatividade, Ideação e Inovação, que deve ser inaugurado em abril, vão compor o crowdworking. “Estamos neste momento adequando nossos processos para que possamos abrir, nos próximos dias, um edital de seleção que deverá se estender até abril, quando terão início as atividades”, revela o coordenador do Núcleo de Empreendedorismo do Inatel – NEmp, Rogério Abranches da Silva.

O programa é voltado a alunos e ex-alunos do Inatel e pessoas que estiverem associadas a estes. Poderão participar também empresas incubadas e projetos pré-incubados que já façam parte dos programas do NEmp. Serão aceitas ideias nas áreas de Internet of Things (IoT), Aplicativos B2B, Soluções de Digitalização “End to end” (E2E), Soluções para Pequenas e Médias Empresas (PMEs), Redes, Segurança, Big Data, Agrobusiness, entre outros segmentos estratégicos.

Dentre os benefícios, Rogério cita o suporte técnico e mentorias de forma gratuita, além da oportunidade de fazer parte de um ecossistema mundial e trocar experiência com empreendedores estrangeiros, executivos e parceiros do Open Future. Os participantes também poderão contar com o apoio da Ericsson para o desenvolvimento de seus projetos.

“Somos parceiros de longa data tanto da Telefónica como do Inatel e vamos contribuir com toda nossa experiência no desenvolvimento de projetos, aplicações e tecnologias. As inovações que certamente irão nascer neste espaço interessam muito para nós”, destaca Tales Silva, Consultor em Desenvolvimentos de Negócios da Ericsson.

Durante todo o processo, os empreendedores serão acompanhados pela Academia Wayra, aceleradora que também integra as iniciativas do Open Future. A intenção é selecionar projetos que estejam em fase mais madura para que, eventualmente, possam ter acesso a Wayra, e receberem financiamento, por meio dos fundos de investimento da empresa.

“Temos mais de 20 espaços como este no mundo. Fiquei muito impressionado com o incentivo ao empreendedorismo existente no Inatel e o Telefónica Open Future vem complementar esse fenomenal ecossistema de inovação”, disse Pablo Moro Casquete, Strategic Partnerships Manager do Telefónica Open Future.

Ambiente inovador

Um dos ambientes que vão compor o crowdworking, o Laboratório de Criatividade, Ideação e Inovação, está em fase final de construção e deve ser inaugurado também em abril. A criação deste Fab Lab bastante inovador, foi um dos grandes facilitadores da escolha do Inatel para ser parceiro do Open Future, de acordo com Rogério Abranches.

“O laboratório vai trabalhar as ideias com o objetivo de validar se a ideia tem viabilidade e potencial para se transformar em um negócio. Para isso, vamos fazer protótipos para apresentar para o mercado e pesquisa de mercado através de metodologias ágeis. Para participar, basta ter uma ideia e participar do processo de triagem do NEmp”, explica o coordenador do Núcleo.

Os grupos selecionados contarão com assessoria de especialistas internos e externos para evoluírem suas ideias, além de auxílio para viabilização dos protótipos. Mesmo sem a infraestrutura pronta, três equipes já integram o programa.

Sobre o Inatel

O Inatel – Instituto Nacional de Telecomunicações é um centro de ensino, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias, criado em 1965. A instituição está localizada em Santa Rita do Sapucaí, sul de Minas Gerais, região conhecida nacional e internacionalmente como o “Vale da Eletrônica” e também possui um escritório em São Paulo, no Complexo WTC. Foi a primeira instituição de ensino superior de Engenharia de Telecomunicações do Brasil e atualmente oferece seis cursos de graduação – Engenharia de Telecomunicações, Engenharia da Computação, Engenharia Biomédica, Engenharia de Automação e Controle, Tecnologia em Automação Industrial e Tecnologia em Gestão de Telecomunicações. Tem também pós-graduação lato sensu, cursos a distância e ainda Mestrado em Telecomunicações. Além de formar profissionais, o Inatel transfere tecnologia ao mercado nas áreas de desenvolvimento de software, hardware, educação continuada, consultoria e calibração de equipamentos. Possui parcerias com empresas de grande porte nacionais e multinacionais.

Fonte: Inatel

Apoiadores